English Español Français Italie  deutsch= Japão Arab Russian Swedish Dutch Chinese Greek

Natal - RN
Natal - RN

Capital Natal - RN                              
Area (Km²)   52 796,791
Números de Municípios 167
População estimada em 2010 3 168 027
{$emptyText}
Extremoz 1 - RNExtremoz 2 - RNExtremoz 3 - RNExtremoz 4 - RN

Extremoz - RN

Extremoz - RN                                                Rio Grande do Norte - RN                                  
População24.953
Extremoz é um município brasileiro situado no litoral do estado do Rio Grande do Norte.

Pertencente à Microrregião de Natal e à Mesorregião do Leste Potiguar, bem como à Região Metropolitana de Natal e ao Polo Costa das Dunas, localiza-se a norte da capital do estado, distante desta 16 quilômetros. Ocupa uma área total de 125,665 quilômetros quadrados, dos quais 1,5001 km² são de área urbana, e sua população estimada em 2011, de acordo com o IBGE, é de 24 550 habitantes, o que classifica como o vigésimo município mais populoso do Rio Grande do Norte e o último de sua microrregião.

A sede tem uma temperatura média anual de 26,1°C e na vegetação do município pode-se encontrar manguezais e tabuleiros litorâneos. Com uma taxa de urbanização de 64,18% (2010), o município contava, em 2009, com dez estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,694, considerando como médio pelo PNUD, estando na décima oitava colocação a nível estadual.

O município de Extremoz se emancipou de Ceará-Mirim na década de 1960. Seu nome se deve à sua localização estratégica a norte da capital potiguar. Extremoz abriga ainda diversos pontos turísticos, como o Genipabu, considerado como o cartão-postal mais famoso do estado do Rio Grande do Norte.

História

As terras que hoje pertencem ao município de Extremoz, foram inicialmente habitados pelos índios tupis e paiacus, que viviam às margens da Lagoa de Guajiru.

No ano de 1607, uma parte de terra foi concedida a jesuítas pelo capitão-mor do Rio Grande do Norte, Jerônimo de Albuquerque, tendo como principal objetivo catequizar os indígenas. Os jesuítas também foram os principais responsável pela construção da igreja de São Miguel e pelo estabelecimento da missão do Guajiru. Isso também fez com que a sociedade tribal fosse sendo influenciada pela doutrina cristã.

Em 1757, durante as invasões holandesas no Brasil, os jesuítas foram expulsos e a povoação tornou-se a primeira da Capitania do Rio Grande do Norte com a categoria de vila (segundo o historiador Luís da Câmara Cascudo). A 3 de maio de 1760 passa a se chamar "Vila Nova de Extremoz do Norte".[nt 1] Nesse tempo a vila tinha 1 429 habitantes e era um importante centro econômico e pecuarista. Até aos dias de hoje, moradores nativos preservam várias lendas a respeito da história de Extremoz, como a do tesouro, cujo desfecho foi a destruição da capela de São Miguel, que teria sido demolida na tentativa de os moradores encontrarem o tal tesouro. Atualmente a capela se encontra em ruínas e foi tombada em 1990.

Em 18 de agosto de 1855 a Vila de Nova Extremoz foi incorporada ao povoado de Boca da Mata, com a denominação de "Vila de Ceará Mirim". Já em 1892, foi criado o distrito de "Extremoz" e anexado ao município de Ceará-Mirim. Em 4 de abril de 1963, Extremoz foi desmembrado de Ceará-Mirim e tornou-se novo município do estado do Rio Grande do Norte. O desmembramento foi oficializado em 2 de fevereiro de 1964. Seu nome se deve principalmente ao fato de estar localizada a norte de Natal (capital do estado), município limítrofe com Extremoz.

Geografia

O município de Extremoz está localizado no estado do Rio Grande do Norte, a uma latitude 05º 42' 20" S, longitude 35º 18' 26" W. A altitude média do município é 41 metros e a distância média da capital do estado é de 16 quilômetros. Integra a Mesorregião do Leste Potiguar, a Microrregião de Natal o Polo Costa das Dunas e a Região Metropolitana de Natal. Sua área total é de 126,665 km², onde 1,5001 km² são de perímetro urbano, o que classifica Extremoz como sendo a décima oitava maior área urbana do estado. Essa área total do município representa 0,238% da área do estado do Rio Grande do Norte, 0,0081% da Região Nordeste do Brasil e 0,0015 % de todo o território do Brasil.

Seus municípios limítrofes: são Ceará-Mirim a norte e a oeste; São Gonçalo do Amarante a sul e a leste; Natal a sul. A costa do Oceano Atlântico constitui o limite leste.

Relevo e hidrografia

No município predominam os terrenos planos, com altitudes abaixo de cem metros acima do nível do mar. O solo, de tipo planossolo sódico, é derivado de sedimentos formados pela ação das águas, com a presença do arenito formados durante o Período Quaternário; o sistema de manejo é muito baixo devido à grande quantidade de umidade presente neste tipo de solo. Os tipos de solo predominantes em Extremoz são a areia quartzosa distrófica - predominante arenosa e não é hidromórfica - e o latossolo vermelho amarelo distrófico é um solo com alto potencial com restrições em sua fertilidade natural, o que classifica este solo como de alta produtividade, devido à grande quantidade de fertilizantes e ao pH do solo. E, por último, vêm os solos aluviais eutróficos, formados pela ação da água, com uma produtividade mais baixa se comparada ao tipo de solo anterior, médio potencial, efetiva profundidade e drenagem.

O município de Extremoz faz parte de três bacias hidrográficas. A primeira é a do Rio Ceará-Mirim, que abrange 49,45% do território do município; a segunda é a do Rio Doce (22,02%); e a terceira corresponde à faixa litorânea oriental.

Clima

A sede do município apresenta temperaturas médias anuais em torno de 26°C, sendo 30°C a temperatura máxima média e 21ºC a temperatura mínima média. O clima predominante é do tipo tropical úmido, com pluviosidades que chegam a ultrapassar mil milímetros, com chuvas no inverno e secas no verão. Segundo a Classificação climática de Köppen-Geiger, o tipo climático de Extremoz é do tipo As. O mês com a maior média anual é fevereiro (27,4°C), sendo 23,5°C e 31,3°C as temperaturas mínima e máxima, respectivamente. Já o mês com a menor média registrada é julho, com aproximadamente 24,5°C, onde 20,3°C é a média mínima e 28,6°C é a média máxima. Já a precipitação média anual, como já dito anteriormente, ultrapassa os mil milímetros anualmente (1551,7 mm), onde o mês mais chuvoso é junho, quando a precipitação é de 288,5 milímetros, enquanto novembro é o mais seco, quando só caem 15,5 mm. A umidade relativa do ar é de 77% e o tempo de insolação chega a 2 700 horas anuais.

Vegetação

Em Extremoz, existem dois tipos de vegetação predominante: a formação dos "tabuleiros litorâneos" e os "manguezais". A formação tabuleiros litorâneos é caracterizada por predominar em áreas já modificadas pela ação do homem na natureza. Já os manguezais predominam principalmente próximo a áreas litorâneas, com espécies animais, vegetais e mangues, onde as espécies de animais e vegetais se associam a outras espécies e sem adaptam a solos que costumam receber a inundação da água dos oceanos, que, por sua vez, possuem um alto grau de salinidade.

Religião

São diversas as manifestações religiosas presentes no município. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica, é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes. De acordo com dados do censo de 2000, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população de Extremoz é composta por: católicos (81,09%), evangélicos (10,57%), pessoas sem religião (7,18%), espiritismo (0,49%) e os demais estão divididos em outras religiões.

Economia

Segundo dados do IBGE, o PIB total de Extremoz era, em 2008, de R$ 369 463,932. A economia do município pode ser dividida em três setores diferentes: o primário, o secundário e o terciário. Destes, o setor que rende mais no produto interno bruto municipal é o setor secundário, seguido pelo terciário. Enquanto isso, o setor primário é o que rende menos. A renda per capita é de R$ 16 440,35. Além disso, 6 836 reais são de impostos líquidos a preços correntes.

Setor primário

Conforme já dito anteriormente, o setor primário é o menos relevante para a economia de Extremoz. De todo o PIB em geral, 12 304 reais estão destinados a este setor. Segundo o IBGE, em 2009 o município possuía um rebanho de 6 825 bovinos, 120 equinos, 2 105 suínos, 370 caprinos, 45 asininos, 27 muares, 1 100 ovinos, e 80 540 aves, dentre estas 36 870 galinhas e 43 670 galos, frangos e pintinhos. No mesmo ano, o município produziu 1 560 mil litros de leite e 817 mil dúzias de ovos de galinha. Na lavoura permanente, Extremoz produz banana, castanha de caju, coco-da-baía, manga e maracujá. Já na lavoura temporária, são produzidos abacaxi, cana-de-açúcar, feijão, mandioca, milho e sorgo. A produção agrícola municipal produz somente milho, feijão e sorgo.

Setores secundário e terciário

O setor secundário é o mais relevante para a economia do município. 191 350 mil reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário), sendo, portanto, o setor que atualmente é a maior fonte geradora do PIB sul-extremozense. Já o setor terciário é o mais relevante para a economia municipal. A prestação de serviços rende 98 320 reais ao PIB municipal. De acordo com o IBGE, o município possuía, no ano de 2009, 197 unidades locais, sendo todas elas atuantes e 2 920 trabalhadores, sendo 1 568 do tipo pessoal ocupado total e 1 532 ocupados assalariados. Salários juntamente com outras remunerações somavam 13 420 mil reais e o salário médio mensal de todo município era de 1,7 salários mínimos.

Educação

O município não conta com instituições de ensino superior, como faculdades e universidades, possuindo apenas escolas. Em 2009, das 7 168 matrículas existentes, 5 072 eram de ensino fundamental, 1 226 de ensino médio e 870 de ensino pré-escolar. Na rede docente, havia um total de 337, dos quais 230 na rede fundamental, 58 na rede superior (ensino médio) e 49 na rede pré-escolar. Dentre as escolas, existiam 32 que ministravam ensino fundamental, três de ensino secundário e 24 de ensino primário.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e do Ministério da Educação (MEC), o índice de analfabetismo no ano de 2000 entre pessoas era mais frequente na faixa etária acima dos 25 anos (28,38%), enquanto a menor frequência era entre 15 e 17 anos (7,42%). A taxa bruta de frequência à escola, que em 1991 era de 61,840%, passou para 82,860% em 2000. 1 162 habitantes possuíam menos de 1 ano de estudo ou não contavam com instrução alguma.

Cultura

Artesanato

O artesanato é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural extremozense. Em várias partes do município é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Alguns grupos reúnem diversos artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais. Normalmente essas peças são vendidas em feiras, exposições ou lojas de artesanato.

Pontos turísticos, principais festividades e eventos

Extremoz possui como principais pontos turísticos as praias de Santa Rita, Barra do Rio, Graçandu e Pitangui. Além dessas, o município destaca-se por conter o principal cartão-postal e a praia mais famosa do Rio Grande do Norte: Genipabu, localizada a vinte e cinco quilômetros do centro da capital potiguar, a região destaca-se por ter imensas dunas e por uma lagoa de águas doces, com forte atrativo para o turismo. A região conta com uma boa infra-estrutura de hotéis, pousadas, restaurantes, barracas de praia, passeios de "buggies", jangadas e dromedários.

Entre os diversos eventos realizados anualmente no município de Extremoz, destacam-se principalmente a festa de São Sebastião - padroeiro do Genipabu, e que acontece normalmente entre 17 e 20 de janeiro - Festa de Nossa Senhora dos Navegantes - que também no mês de janeiro, mais especificamente na última semana, que e conta com missas, procissões, shows e apresentações -, a festa de emancipação política de Extremoz - ocorre no dia 4 de abril, data em que o município comemora o aniversário de emancipação política, quando se emancipou de Ceará-Mirim em 1963 -, a festa de São João de Extremoz - festa junina que ocorre durante aproximadamente um mês e é realizada em vários distritos - e a festa de São Miguel Arcanjo, que homenageia o padroeiro municipal.

Esporte

A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer é a secretaria vinculada à prefeitura municipal que é responsável por atuar no setor esportivo do município. Essa secretaria, junto com a Secretaria Estadual de Esporte e Lazer e a prefeitura de Extremoz, organiza, planeja e cria diversos eventos com foco no setor de esporte. Além disso, o município já sediou, além dos próprios eventos organizados pela secretaria municipal de esporte, vários outros eventos organizados por outras organizações, como a Regata Interestadual de Remo, organizada em 2011 e que contou com a participação de vários clubes de remo vindos do Rio Grande do Norte e de outras unidades da federação.

Feriados

Em Extremoz, há dois feriados municipais, dois feriados estaduais, oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são o dia 4 de abril, dia de emancipação política do município, e o dia 29 de setembro, dia do padroeiro do município, São Miguel Arcanjo. De acordo com a lei federal n.º 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluso neste a Sexta-Feira Santa.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar